Events · Fashion

PORTUGAL FASHION COM 33 DESFILES E 4 DIAS…

pf_aw19_840x483_10373411175c70a19041d48.png

O Portugal Fashion está de regresso e de 14 a 17 de Março (sim, 17 de Março o meu dia de aniversário) os melhores estilistas portugueses irão partilhar a passerelle com a criatividade dos jovens criadores nacionais.

Serão 33 desfiles, 46 criadores, 4 dias e um novo espaço no edifício da Alândega do Porto, a renovada sala do 1º andar na ala nascente, onde vão decorrer metade dos desfiles.

No sábado o dia termina com uma After Show Party e o Domingo começará com dois desfiles totalmente dedicados à moda infantil.

 

Programa:

QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO

BLOOM

15h00 MODATEX
16h00 SOFIA VIEIRA DA SILVA + ASHMA KARKI
17h00 RITA SÁ
18h00 BLOOM UPLOAD: CAROLINA SOBRAL, ARIEIV, JOÃO SOUSA, 0.9 VIRUS
19h00 MARA FLORA + MARIA MEIRA
20h00 DANIELA PEREIRA21h00 JÚLIO TORCATO
22h00 HUGO COSTA
23h00 MARIA GAMBINA

 

SEXTA-FEIRA, 15 DE MARÇO

15h00 INÊS TORCATO + SARA MAIA
16h00 ESTELITA MENDONÇA
17h00 SOPHIA KAH
18h00 KATTY XIOMARA
19h00 PÉ DE CHUMBO
20h00 TM TERESAMARTINS
21h30 DIOGO MIRANDA
22h30 LUÍS BUCHINHO
23h30 MIGUEL VIEIRA

 

SÁBADO, 16 DE MARÇO

14h00 NUNO BALTAZAR
15h00 MEAM
16h00 SUSANA BETTENCOURT
17h30 SHOES & BAGS: AMBITIOUS, FLY LONDON, GLADZ, J.REINALDO, LEMON JELLY, NOBRAND, RUFEL, THE BARON’S CAGE
18h30 CONCRETO
19h30 MICAELA OLIVEIRA
21h30 I AM WHAT I WEAR designed by IMPETUS
22h30 ALVES/GONÇALVES
23h30 LUÍS ONOFRE

AFTER SHOW PARTY

 

DOMINGO, 17 DE MARÇO

10h30 PORTUGAL KIDS FW – POWERED BY MODAPORTUGAL
11h30 PORTUGAL KIDS FW – POWERED BY MODAPORTUGAL
14h00 MARQUES’ALMEIDA
15h00 ALEXANDRA MOURA
16h00 CARLA PONTES
17h00 DAVID CATALÁN

 

Events · Lifestyle

Hip Hop International – entrevista com Cesariny!

22496011_10209807249993306_1555412529532601679_o.jpg

Chama-se César Martins, mas todos o chamam Cesariny. Tem 32 anos, dança desde os 18 e a sua especialidade é o Locking!

É um dos meus melhores amigos da área dança e por isso foi preciso um grande motivo para o entrevistar para o meu blog – sim, tenho de ser imparcial! Ganhar com Megacrew o Hip-Hop Internacional pareceu-me o argumento certo!

Eu: O que sentiste por ter vencido na categoria de Megacrew e qual o teu papel no desenvolvimento dessa atuação?

Iny: Senti-me extremamente feliz por termos conseguido atingir o objectivo máximo no HHI Portugal, uma vez que a parte de pré-competição foi bastante dura e com muitas horas de ensaio. O meu papel, bem como todos os membros do Jukebox Crew, traduziu-se como motivadores, como assistentes de treino/coreografia para com o Líder/Director Artístico do grupo, Vasco Alves.

32440716_1650133185100285_5262758835222740992_o.jpg

Decidi perguntar ao Cesariny o que mudava ou melhorava no HHI, à semelhança do que tinha feito com o Bruno Abreu! E não podia concordar mais com a resposta: “Já são 5 anos de evento. São poucos os pontos a serem melhorados, uma vez que isso tem acontecido ao longo de todos os anos! A minha sugestão seria manter as finais das battles no Main Stage, como já fizeram em edições anteriores.”.

31948038_10204784374446886_3552984890725105664_o.jpg

A verdade é que o Iny não trabalha com uma das áreas mais populares e comerciais do Hip-Hop. Tem lutado para defender a sua cultura e o old school em Portugal e por isso mesmo trouxe recentemente o P-Lock a Barcelos para um mega-workshop – o P-Lock é simplesmente uma referência mundial no Locking!

Inúmeros prémios, formação no estrangeiro, presenças em videoclips, o bailarino até criou a primeira festa para dançarinos de Hip-Hop – “Report to the dancefloor”.

11709943_474846889345870_6874706828686347833_o.jpg

Perguntei-lhe como via o Locking no nosso país neste momento: “Relativamente ao panorama nacional, no que diz respeito ao Hip Hop na vertente dança, sinto que existe de ano para ano uma maior preocupação em apresentar um nível cada vez melhor. Preocupa-me sim a falta de preparação física das pessoas que dançam, uma vez que no HHI vi muitas pessoas a serem socorridas pelos bombeiros com lesões derivadas dessa mesmo lacuna. No Locking vejo uma maior preocupação em conseguir dançar melhor o estilo, o que me deixa muito feliz!”

600 (1).jpg

O Cesariny esteve também no “Let’s dance”, programa da TVI, em 2017. Acompanhei de perto a fase em que o reconheciam nos eventos e as suas redes sociais eram vistas por milhares de pessoas todos os dias. Um ano depois, quis saber como tem sido o “pós programa”! “Sem dúvida que foi uma experiência que marcou a minha vida. Ganhei mais conhecimento, maturidade e ainda mais à vontade no palco, que me ajudaram a evoluir, conseguindo ser um melhor bailarino. Na minha vida mudou o facto de ter a certeza que quando queremos uma coisa e trabalhamos para ela esta vai acontecer, será só uma questão de tempo”.

600.jpg

 

Queres saber mais sobre ele?

Canal de youtube: https://www.youtube.com/user/cesariny

Instagram: https://www.instagram.com/cesariny_martins/

Facebook: https://www.facebook.com/Cesariny

10619967_827724810603866_5302717589150261103_o.jpg

 

Queres saber mais sobre o HHI 2018? Aqui está:

 

Boa sorte amigo…

16997892_1902912119940205_2714219042014000211_n.jpg

Events · Lifestyle

Hip Hop International – entrevista com Bruno Abreu!

29737033_520340868359848_5435864816323395584_n.jpg

O Bruno Abreu tem 33 anos e faz dança profissionalmente à cerca de 11. Diz que todos o chamam de Abreu e é uma das pessoas mais multifacetadas do Hip-Hop Português – speaker, professor, dançarino, coreógrafo e até actor! Sim, é ele o “faz gostoso” do último videoclip da Blaya.

 

Todos os anos tem sido escolhido para ser speaker no HHI e diz que o faz com “uma satisfação enorme” e que já sente que o evento é um pouco seu.

32440646_1648991605214443_3138176429586382848_o

Questionado sobre as melhorias possíveis no evento responde: “Eu acredito que é sempre possível fazer melhor e que é isso que nos faz evoluir e crescer… desde o primeiro HHI têm havido mudanças brutais todos os anos e sei que a organização dá tudo o que tem e o que não tem para que todos tenham o melhor evento possível”.

A verdade é que todos os anos temos visto um crescimento nas propostas do HHI e este ano tivemos a primeira After Party temática, que foi aliás promovida pelo Abreu e o seu colega Krayze – a Tropikal party.

222

 

Numa altura em que o crescimento do Hip-Hop em Portugal é tão expressivo, com cada vez mais escolas, grupos, cantores, videoclips e marcas relacionadas com esta cultura, perguntei ao Abreu se acha que podemos melhorar: “Eu acho que temos um logo caminho a percorrer, mas que estamos nesse caminho e isso é o mais importante. Acho que temos que apostar mais e dedicarmos-nos mais. Gostaria de ver mais empresas a apoiar a dança no geral …gostaria de ver as pessoas mais conectadas pela dança e não só por competir. E também um bom equilíbrio entre a paixão e business mind porque lá fora o HipHop gera milhões… aqui as pessoas acham que por exemplo ir a um evento e pagar 5€ ou mesmo 10€ é muito quando facilmente tem os últimos modelos da nike ou o chapéu x e a camisola y ou aquele iphone que acabou de sair. Especificamente o House… bem, já se conhece melhor o estilo, mas ainda é um nicho. Relativamente à pouco tempo produzi um evento que não incluiu a categoria de House e muita gente me disse «Tu danças House e não estás a apoiar o teu estilo!». Mas eu tenho de mostrar a quem me está a dar o dinheiro e a oportunidade de que o evento vai ser um sucesso e se em todos os outros eventos de House que fiz não apareceu quase ninguém será que devo arriscar de novo?! É complicado… as pessoas querem, mas depois não vão ou deixam para a última e logisticamente para quem quer fazer um evento é muito complicado trabalhar assim porque 90% das vezes estamos a meter do nosso bolso e se correr mal somos nós que temos a corda no pescoço.”

111

Não pude terminar a minha entrevista sem questionar o professor de House Dance sobre o seu já conhecido apelido no HHI – “A cara do evento”! Humilde como sempre, respondeu-me: “Muitas vezes ouço que sou a cara do evento mas não acho que seja de todo essa a realidade. As pessoas são a cara daquele evento… a organização… os bailarinos… os pais… tu… isso é o bonito do HHI. Todos os anos me surpreende e toca-me muito o carinho que as pessoas têm comigo… levam-me comida… perguntam se falta algo – fico muito grato por fazer parte. E óbvio que não seria o mesmo sem o meu grande parceiro Krayze que têm sido uma peça fundamental para o HHI e para mim. Em relação a este evento ter algum peso na minha carreira enquanto bailarino ou coreógrafo acho que não teve, até porque tento ao máximo separar as águas porque nunca fui fã da expressão faz tudo, mas confesso que tenho muitas paixões e que às vezes é difícil gerir ehehe.”

32423095_1650130418433895_1602513321032941568_o.jpg

Queres saber mais sobre ele?

Canal de youtube: www.youtube.com/user/g0blin1984

Instagram: www.instagram.com/abreus/

Facebook: www.facebook.com/bruno.abreu.752

 

Queres saber mais sobre o HHI 2018? Aqui está:

 

Continua um ganda maluco! Boa sorte com tudo Abreu…

Beauty · Events

Tudo sobre a Miss Gondomar 2018

Teresa Fidalgo é a Miss Portuguesa Gondomar e ganhou o lugar de finalista Miss Portuguesa 2018, no passado dia 6 de Maio na ExpoGondomar.

31958707_680218675642631_604803323094106112_o.jpg

Foram ainda eleitas Fátima Monteiro como 1°Dama de Honor e Jéssica Rodrigues como 2° Dama de Honor.

31960240_680220448975787_9177126461826400256_o.jpg

Entrevistei a Teresa Fidalgo 3 dias após vencer e estas foram as suas respostas:

*O que achou da edição deste ano do concurso?

Penso que a edição deste ano, comparativamente com as anteriores tem tido cada vez mais reconhecimento e adesão por parte tanto das concorrentes como por parte do público. Vejo o crescimento do projeto como muito positivo do ponto de vista municipal e também inserido na área Metropolitana do Porto.

*Sentiu uma grande evolução deste ano para a última edição a que concorreu?

A edição em que concorri foi em 2016, que aconteceu após o fim do concurso Miss Gondomar em 1996. Por isso, houve um período em Gondomar que o concurso de Miss esteve inativo. Este ano 2018 na 3a edição do Miss Portuguesa Gondomar 2018, verificamos que de facto há uma evolução qualitativa tanto por parte da organização como por parte da adesão ao evento.

*O que espera conseguir na final nacional?

Em relação à final tal como todas as outras finalistas espero ganhar (risos), mas acima de tudo, espero com o estágio adquirir experiências diversificadas, aprendizagens fundamentais e todas as condutas necessárias para melhorar os aspetos menos positivos e aperfeiçoar as características já favoráveis que já possuo.

*Que expectativas tem do seu mandato?

Tenho expectativas altas para o meu mandato, pretendo ter uma participação ativa a nível do meu município mas também ao nível de contribuir para  que a edição de 2019 continue a crescer. Irei também abraçar a “beleza por uma causa” que é o Lema do Miss Portuguesa contribuindo assim para a mudança e melhoria de certas áreas da nossa sociedade.

 

31958099_680219105642588_6099205073328406528_o.jpg

Vou tentar estar presente em mais algumas eliminatórias para a grande final da Miss Portuguesa.

Entretanto, o que acharam da Teresa? E do evento? Se ainda não viram corram para o meu canal no Youtube e espreitem o último vídeo!

Beijos fashionistas!